Adoção

Passo-a-passo da adoção

Para conquistar o filho tão aguardado, veja o passo a passo da adoção.

1. Visite uma Vara da Infância e Juventude

Você decidiu adotar. Então, procure a Vara de Infância e Juventude do seu município e saiba quais documentos deve começar a juntar. A idade mínima para se habilitar à adoção é 18 anos, independentemente do estado civil, desde que seja respeitada a diferença de 16 anos entre quem deseja adotar e a criança a ser acolhida. Os documentos que você deve providenciar: identidade; CPF; certidão de casamento ou nascimento; comprovante de residência; comprovante de rendimentos ou declaração equivalente; atestado ou declaração médica de sanidade física e mental; certidões cível e criminal.

VARA DA INFÂNCIA E JUVENTUDE
Rua São Paulo, Nº 1271 - Areias - Camboriú - SC
Telefone: ( 47)3365-9300

Mude um destino

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) promove, desde março de 2007, a campanha Mude um Destino. Em sua primeira fase, procurou chamar a atenção da sociedade para as condições de vida de cerca de 80 mil crianças e adolescentes que vivem em abrigos. Na segunda etapa, o foco passou a ser a importância da adoção feita de maneira legal, ou seja, por meio do Poder Judiciário.

Novas regras para adoção

Cartilha passo-a-passo

A segunda etapa da campanha Mude um Destino tem por objetivo chamar a atenção para a necessidade de os processos de adoção serem realizados por meio do Poder Judiciário. Por esta razão, a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) produziu uma versão atualizada da cartilha Adoção passo a passo, peça que compôs a primeira fase do projeto e que, agora, ganha ainda mais importância.

Estruturada em cinco capítulos, na forma de perguntas e respostas, a cartilha detalha todos os procedimentos do processo de adoção, além de abordar a questão sob o ponto de vista psicossocial. O material está dividido em cinco capítulos, partindo da definição de conceitos elementares - como o de adoção e de abrigo – e culminando em outros bastante complexos, como a necessidade de preparação dos casais e crianças para que o processo seja bem-sucedido.

A publicação destaca ainda a importância de se considerar a história de cada criança, a escuta de sua subjetividade e a desmistificação da adoção como única saída para as situações de abandono.

Cartilha passo-a-passo